Logo

Diretor Sindical fala de surto de COVID-19 no Banco do Nordeste em Santa Inês

O Diretor do Sindicato dos Empregados Bancários do Estado do Maranhão e Representante do conselho da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste LINDENBERG BRAGA, veio a público no dia 07 de junho externar a população em geral, que a agência do Banco do Nordeste de Santa Inês, Maranhão, contínua aberta, quando 11 de seus colaboradores, foram afastados por terem sido diagnosticado com COVID 19, até o dia de hoje 07 de junho de 2021, representando mais de 20% do quadro funcional. Para o diretor, Lindenberg Braga: “A gestão maior já devidamente comunicada, desrespeita os protocolos concebidos na negociação entre o movimento sindical e a Fenaban a fim de preservar a saúde dos trabalhadores e conter a disseminação do vírus entre a população, sendo necessária a urgente interdição para sanitização da agência e o afastamento dos colaboradores que tiveram contato com as pessoas acometidas,  havendo neste momento a necessidade de intervenção do Sindicato dos Empregados Bancários e da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste, para fazer cumprir pelo banco as medidas negociadas com o movimento sindical. É importante frisar, que três colaboradores têm menos de 15 dias que se recuperaram e estão em atividade na agência, podendo ter um quadro de reinfecção. Sendo por tanto uma demagogia o termo apregoado pela instituição Banco do Nordeste, quando diz que, ”Eu me cuido para cuidar dos outros, parceria que salva!”, não é o que vemos em Santa Inês”.

O Sindicato dos Empregados Bancários do Maranhão, na pessoa de seu presidente Eloy Natan, destaca: Que têm solicitado veementemente ao Governo do Estado e a todas as cidades que tenham agências ou postos bancários, que seja incluso os trabalhadores deste setor como prioritários para a vacinação, apresentando minuta de leis em suas câmaras municipais, que no caso específico de Santa Inês, apesar de aprovada por unanimidade na câmara de vereadores, encontra-se vetada pelo digníssimo senhor prefeito. Reafirma o presidente Eloy Natan, que a classe bancária inserida nos serviços prioritários, não pede tratamento privilegiado, mas requer tratamento diferenciado, pois mais de 70% dos bancários estão diretamente expostos ao vírus, trabalhando em ambientes de fácil disseminação do vírus, locais de trabalho com aglomerações e espaços sem ventilação adequada. Não se trata de política ou privilégio, mas de respeito a saúde dos trabalhadores bancários e de seus clientes. E, por reivindicar a vacinação prioritária da categoria, que nunca pararam o atendimento, se fez necessário decretar estado de greve desde o dia 02 de junho, com paralisação por tempo indeterminado começando a partir do dia 08/06 em todo o Estado.  É importante comunicar, que o SEEB-MA lutou por todas as vias institucionais cabíveis antes de convocar a Assembleia Geral e deflagrar Greve Sanitária.

1 Comentário

  1. Rayla diz:

    Um absurdo nada ser feito. Pra todas as outras áreas de trabalho foi dado vacina e foi feito alguma coisa, como diminuir os dias e a capacidade de pessoas no local. Dês do começo da pandamia o único lugar que não fechou foi o banco e os hospitais, onde os profissionais de saúde. Vacina pra todos. Direto para todos e oque eu peço.

Deixe o seu comentário!

%d bloggers like this: